ANS determina suspensão de reajustes de planos de saúde por 120 dias

ANS determina suspensão de reajustes de planos de saúde por 120 dias | Preferida Corretora De Seguros, Plano de saúde, Plano de saúde individual, Plano de saúde familiar, Plano de saúde empresarial, Seguros, Seguro de Transportes, Seguro Rural, Seguro de Vida, Previdência Privada, Seguro Automóvel, Seguro de Frota de Veículos, Seguro de Carro, Seguro de Moto, Seguro de Bicicleta, Seguro Aeronáutico, Seguro Náutico, Seguro Viagem, Seguro Carta Verde, Seguro Residencial, Seguro Fiança Locatícia, Seguro de Condomínio, Seguro Garantia, Seguro de Crédito, Seguro de Acidentes Pessoais, Seguros Para Empresas, Seguro de Riscos de Engenharia, Seguro de Riscos Nomeados e Operacionais, Seguro de Responsabilidade Civil, Seguro de Cyber Risk, Seguro de Equipamentos Portáteis, Amil, Amil Dental, Qualicorp, Prevent Senior, HDI Seguros, One Health, Allianz, Zurich, Uninamed, Tokio Marine, Sulamerica Seguros, Sompo Seguros, São Cristovão Saúde, Porto Seguros, NotreDame, Omint Seguros, Mapfre, Metlife, Liberty Seguros, Itau Seguros, Greenline, Bradesco Seguros, Berkley, Azul Seguros, Icatu Seguros, Convênios Médicos

Após a realização da 16ª Reunião Extraordinária de Diretoria Colegiada, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou na última sexta-feira, 21 de agosto, que está suspensa por 120 dias a aplicação de reajustes aos contratos de planos de saúde para todos os tipos de plano: individual/familiar e coletivos, seja por adesão ou empresariais. A suspensão terá início em setembro e será válida para reajustes anuais e por mudança de faixa etária dos planos de assistência médica e exclusivamente odontológica.

A proposta foi aprovada com quatro votos a favor (Diretorias de Normas e Habilitação dos Produtos, de Normas e Habilitação das Operadoras, de Fiscalização e de Gestão) e uma abstenção (Diretoria de Desenvolvimento Setorial). Haverá aferição e incorporação de impactos a posteriori, bem como a forma de recomposição dos reajustes para manutenção do equilíbrio dos contratos de planos de saúde.

Entenda a medida:

Reajuste anual de planos individuais/familiares: o percentual máximo de reajuste a ser aplicado planos individuais/familiares é definido e anunciado pela ANS entre os meses de maio e julho. Este ano não houve divulgação de percentual, portanto, a reguladora não autorizou a aplicação de reajuste para nenhum contrato individual com aniversário a partir de maio de 2020. Pela medida, não haverá anúncio e nem autorização de reajuste para esses planos em 2020.

Reajuste de planos coletivos com menos de 30 beneficiários (empresarias e por adesão): para definição do reajuste desses contratos, as operadoras devem reunir em um grupo único todos os seus contratos coletivos com menos de 30 beneficiários para aplicação do mesmo percentual de reajuste. O Agrupamento de Contratos tem como objetivo a diluição do risco desses contratos para aplicação do reajuste ao consumidor, conferindo maior equilíbrio no índice calculado em razão do maior número de beneficiários considerados. Pela medida, estão suspensos os reajustes para essas carteiras no período de setembro a dezembro de 2020.

Reajuste de planos coletivos com 30 beneficiários ou mais (empresarias e por adesão): os reajustes das carteiras com 30 ou mais beneficiários são definidos após livre negociação entre a pessoa jurídica contratante e a operadora ou administradora de benefícios contratada. A justificativa do percentual proposto deve ser fundamentada pela operadora e seus cálculos disponibilizados para conferência pela pessoa jurídica contratante. Pela medida, estão suspensos os reajustes para essas carteiras no período de setembro a dezembro de 2020. No caso dos planos com 30 ou mais vidas, a pessoa jurídica contratante poderá optar por não ter o reajuste suspenso, se for do seu interesse, devendo informar a opção à operadora.

A Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) divulgou um comunicado se posicionando. A entidade afirma que todas as associadas tomarão todas as providências para cumprir a medida e que as mensalidades refletem fatores como oscilações de custos, frequência de utilização e a chamada inflação médica, impactada por fatores como incorporação de tecnologias, longevidade, demografia e judicialização entre outros, cuja variação supera, em todo o mundo, a dos índices gerais de preços.

https://www.revistaapolice.com.br/2020/08/ans-determina-suspensao-de-reajustes-de-planos-de-saude-por-120-dias/